O III Dia das Meninas  ocorrerá em comemoração ao Dia Internacional da Mulher no dia 10/03 (sexta-feira) no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST).
 
Trata-se de um evento em que cientistas se reunem para conversar com adolescentes sobre a situação da mulher nas carreiras científicas e posteriormente são realizadas oficinas práticas de ciências.
O debate ocorrerá às 14h de Brasília e contará com transmissão ao vivo pelo site do MAST: www.mast.br.
Ficaremos honradas com a participação e perguntas de todos!
 
A programação completa encontra-se no link:
 
Nesta edição, coordenam o evento Sandra Benítez, Ana Paula Germano e Patricia Figueiró Spinelli. Tendo o apoio do grupo L’Oréal.
 
Esta ação foi incluída como parte do planejamento do PLOAD Brasil 2017.
 
Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

origensOrigens da vida no contexto cósmico é um curso desenvolvido no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo, com o objetivo de apresentar os mais recentes avanços científicos na compreensão deste intrigante assunto. É um curso com formato multidisciplinar que o levará a compreender melhor os aspectos envolvidos no surgimento de vida na Terra e no possível surgimento de vida em outros planetas.

Este é um curso gratuito online desenvolvido na plataforma COURSERA.

Mais informação…

Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

O Encontro de Astronomia nas Culturas decorrerá de 7 a 10 de dezembro de 2016, em Porto Alegre, Brasil.

O evento pretende reunir pesquisadores, especialistas, sábios e mestres das culturas, estudantes e professores da Educação Básica, bem como demais interessados, com o objetivo de divulgar o potencial de recursos da Astronomia nas Culturas como foco de pesquisa e valorização do patrimônio cultural dos variados grupos étnicos e culturais, incluindo o Rio Grande do Sul, estados vizinhos bem como países da América Espanhola.

Fazem parte da comissão organizadora do evento diversas entidades membros do PLOAD.
Mais informações poderão ser encontradas seguindo a ligação:

https://www.ufrgs.br/astronomianasculturas/

Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
O projeto EU Space Awareness, em conjunto com a Agência Espacial Europeia (ESA) e o Programa de Formação de Professores Galileo (GTTP) organizou um seminário de formação para professores sobre educação para as ciências do Espaço. O evento foi realizado em Leiden, Holanda, entre 18 e 22 de outubro de 2016.

Como parceiro no projeto Space Awareness, o OAD participou no workshop. Sara Anjos, do NUCLIO e coordenadora do PLOAD, e Ramasamy Venugopal, do OAD, realizaram um workshop sobre “Equilíbrio de Género e Diversidade através da Educação para as ciências e tecnologias do Espaço”.

“A diversidade envolve realmente a infinita gama de atributos e experiências únicas dos indivíduos”, – Labour Department, EUA

Algumas das diretrizes propostas, para professores, com vista a incentivar a diversidade de género em sala de aula:
* Estas diretrizes foram adaptadas dos seguintes projetos: TWIST; @mindset; Hypatia
  1. Desafiar ativamente os estereótipos.
  2. Dirigir-se ao sexo feminino, mas projetar para ambos os sexos.
  3. Enfrentar a invisibilidade das mulheres e das minorias em ciência: destacar mulheres cientistas.
  4. Promover “mentores” e fornecer “modelos a seguir”.
  5. Dirigir-se aos pais.
  6. Adotar abordagens participativas.
  7. Refletir sobre o seu próprio perfil e o de sua instituição.


Ao levar a cabo atividades em sala de aula, convém ter em conta o seguinte:
  • Criar atividades inclusivas adaptadas a uma sala de aula diversificada em termos de género e de culturas.
  • Certificar-se de que a atividade pode ser concluída por todos os alunos.
  • Determinar em que ponto de uma atividade o professor poderá ter de enfrentar possíveis problemas de discriminação e orientar a situação.
  • Os professores deverão estar preparados para enfrentar situações em que os alunos possam levantar questões controversas.
  • Os professores deverão desafiar os seus próprios preconceitos raciais e culturais.


Para mais recursos sobre Inclusão, aceda ao site do Grupo de Trabalho da IAU para a Igualdade e Inclusão – http://sion.frm.utn.edu.ar/iau-inclusion/

Workshop Internacional sobre Educação para as Ciências e Tecnologias do Espaço – http://www.space-awareness.org/en/news/space-education-international-workshop/
Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

eclipse anularAlguns países aderentes ao PLOAD terão na manhã do dia 1 de setembro de 2016 um eclipse solar no céu. Este eclipse pode ser observado em quase toda a África e em parte do Oceano Índico. A lua estará, na altura, mais afastada da Terra e parecerá mais pequena que o disco solar. Por isso a lua não vai conseguir tapar a vista ao sol na totalidade – chama-se isso um eclipse anular do sol.

Numa faixa com cerca de 100 km de largura, a lua entra totalmente no disco solar, deixando um pequeno anel do sol visível. Nos países do PLOAD esta fase anular apenas pode ser observada na ponta norte de Moçambique.

Outros países em que o eclipse vai ser anular são o Gabão, o Congo, a República Democrática do Congo, a Tanzânia e a Madagáscar.

O máximo do eclipse verifica-se às 9:08 horas UT, a poucos quilómetros a norte de Nakapanya/Tanzânia, terá uma duração de 3 minutos e bloqueia 95% do disco solar.

Quase todos os países de África terão o eclipse durante a parte da manhã, com algumas exceções, nomeadamente Cabo Verde, que perde o eclipse por pouco.

A proteção da saúde da população, curiosa em acompanhar o eclipse, é muito importante. Aconselha-se que os meios de comunicação social dos países sob eclipse não só informem sobre a ocorrência do eclipse. Importa mais ainda o aviso dos riscos graves para a vista ou a pele, se não forem tomadas medidas adequadas de proteção.

Para este efeito o PLOAD preparou uma compilação de medidas segurança. Foi também criada uma lista de possíveis atividades a realizar durante um evento público.

Regras de segurança para a observação do Sol

Nunca olhar diretamente para o Sol.
Os danos para a vista são permanentes!

Nunca utilizar óculos de sol, vidros escurecidos, fotografias escuras para observar o Sol.
Perigo de cegueira!

Não apontar telescópios ou binóculos sem filtro para o sol.
Perigo de danos ou queimaduras graves, perigo de incêndio!

Proteger a pele
Salve a sua pele ! Use creme de proteção solar em todas as partes expostas independente da tonalidade natural da sua pele.

Trajeto do eclipse anular do sol no 1 de setembro de 2016. A estreita faixa central mais escura representa a fase anular. Nas restantes faixas o eclipse será parcial. Quanto mais escura a faixa, maior a parte do sol coberto pela lua.
Trajeto do eclipse anular do sol no 1 de setembro de 2016.
A estreita faixa central mais escura representa a fase anular. Nas restantes faixas o eclipse será parcial. Quanto mais escura a faixa, maior a parte do sol coberto pela lua.
Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
Partilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page